sábado, 26 de fevereiro de 2011

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Harmonia da Tarde - Dihelson Mendonça


"Num passeio por um belo jardim, vi coisas maravilhosas"


Voici venir les temps où vibrant sur sa tige,
Chaque fleur s'évapore ainsi qu'un encensoir;
Les sons et les parfums tournent dans l'air du soir,
Valse mélancolique et langoureux vertige.


borboleta 08



borboleta 07



borboleta 06

Chaque fleur s'évapore ainsi qu'un encensoir,
Le violon frémit comme un coeur qu'on afflige,
Valse mélancolique et langoureux vertige,
Le ciel est triste et beau comme un grand reposoir;


borboleta 05



borboleta 04



borboleta 03

Le violon frémit comme un coeur qu'on afflige,
Un coeur tendre, qui hait le néant vaste et noir!
Le ciel est triste et beau comme un grand reposoir;
Le soleil s'est noyé dans son sang qui se fige...

borboleta 02

Un coeur tendre, qui hait le néant vaste et noir,
Du passé lumineux recueille tout vestige.
Le soleil s'est noyé dans son sang qui se fige, -
Ton souvenir en moi luit comme un ostensoir.


borboleta 01


( tradução )

Chegado é o tempo em que, vibrando o caule virgem,
Cada flor se evapora igual a um incensório;
Sons e perfumes pulsam no ar quase incorpóreo;
Melancólica valsa e lânguida vertigem!

Cada flor se evapora igual a um incensório;
Fremem violinos como fibras que se afligem;
Melancólica valsa lânguida vertigem!
É triste e belo o céu como um grande oratório.

Freme violinos como fibras que se afligem,
Almas ternas que odeiam o nada vasto e inglório!
É triste e belo o céu como um grande oratório;
O sol se afoga em ondas que de sangue o tingem.

Almas ternas que odeiam o nada vasto e inglório
Recolhem do passado as ilusões que o fingem!
O sol se afoga em ondas que de sangue o tingem...
Fulge a tua lembrança em mim qual ostensório!

Fotos: Dihelson Mendonça
Poema: Charles Baudelaire - Harmonie du Soir

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Ensaiando com PALMA - Por Claude Bloc

Como diriam os antigos: "sua alma, sua palma"...


Já me bastam os espinhos, quero as flores...


Já me bastam os dissabores, quero amores...


Só a palma...
Só a alma...


Claude Bloc


quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

domingo, 13 de fevereiro de 2011

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Show Baile SOS BATISTA

Acontecerá no próximo dia 12 de fevereiro, sábado, a partir das 20 horas, no salão nobre do Crato Tênis Clube, o Baile Show Beneficente SOS BATISTA - uma iniciativa de professores e colegas da URCA com o apoio do Crato Tênis Clube, Universidade Regional do Cariri -URCA, Francy Cópias, Rádio Educadora do Cariri, Farmácias Gentil, Mairton e OK Produções e revista virtual CaririCult. A produção é da OCA (Officinas de Cultura e Artes & Produtos Derivados).

O Baile é dançante com a banda do Batista e a participação de muitos artistas para apresentações avulsas que abrilhantarão a festa e manifestarão através da arte a sua solidariedade ao artista. Todo o "apurado" será doado ao Batista que, no momento, precisa recuperar as perdas materiais provocadas pelo “dilúvio” experimentado pelo Cariri nos últimos dias do mês de janeiro.

O ingresso, com venda antecipada na Farmácia Gentil da rua Senador Pompeu (esquina com a agência do Banco do Brasil de Crato) custa R$ 10,00.

DIVULGUEM E/OU MANIFESTEM AQUI O SEU DESEJO DE PARTICIPAR DO EVENTO!

Luiz Carlos Salatiel

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

O grande fotógrafo Sebastião Salgado é o homenageado do HOJE NA HISTÓRIA


HOJE NA HISTÓRIA - Sebastião Salgado, um dos maiores fotógrafos brasileiros

Sebastião Ribeiro Salgado (Aimorés, 8 de fevereiro de 1944) é um fotógrafo brasileiro reconhecido mundialmente por seu estilo único de fotografar. Nascido em Minas Gerais, é um dos mais respeitados fotojornalistas da atualidade. Nomeado como representante especial do UNICEF em 3 de abril de 2001, dedicou-se a fazer crônicas sobre a vida das pessoas excluídas, trabalho que resultou na publicação de dez livros e realização de várias exposições, tendo recebido vários prêmios e homenagens na Europa e no continente americano. "Espero que a pessoa que entre nas minhas exposições não seja a mesma ao sair" diz Sebastião Salgado. "Acredito que uma pessoa comum pode ajudar muito, não apenas doando bens materiais, mas participando, sendo parte das trocas de ideias, estando realmente preocupada sobre o que está acontecendo no mundo".

Biografia

Formado em economia pela Universidade de São Paulo, trabalhou na Organização Internacional do Café em 1973, e trocou a economia pela fotografia após viajar para a África levando emprestada a câmera fotográfica de sua mulher, Lélia Wanick Salgado. Seu primeiro livro, Outras Américas, sobre os pobres na América Latina, foi publicado em 1986. Na sequencia, publicou Sahel: O Homem em Pânico (também publicado em 1986), resultado de uma longa colaboração de quinze meses com a ONG Médicos sem Fronteiras cobrindo a seca no Norte da África. Entre 1986 e 1992, ele concentrou-se na documentação do trabalho manual em todo o mundo, publicada e exibida sob o nome Trabalhadores rurais, um feito monumental que confirmou sua reputação como fotodocumentarista de primeira linha. De 1993 a 1999, ele voltou sua atenção para o fenômeno global de desalojamento em massa de pessoas, que resultou em Êxodos e Retratos de Crianças do Êxodo, publicados em 2000 e aclamados internacionalmente.

Na introdução de Êxodos, escreveu: "Mais do que nunca, sinto que a raça humana é somente uma. Há diferenças de cores, línguas, culturas e oportunidades, mas os sentimentos e reações das pessoas são semelhantes. Pessoas fogem das guerras para escapar da morte, migram para melhorar sua sorte, constroem novas vidas em terras estrangeiras, adaptam-se a situações extremas…" Trabalhando inteiramente com fotos em preto e branco, o respeito de Sebastião Salgado pelo seu objeto de trabalho e sua determinação em mostrar o significado mais amplo do que está acontecendo com essas pessoas criou um conjunto de imagens que testemunham a dignidade fundamental de toda a humanidade ao mesmo tempo que protestam contra a violação dessa dignidade por meio da guerra, pobreza e outras injustiças.

Ao longo dos anos, Sebastião Salgado tem contribuído generosamente com organizações humanitárias incluindo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, (ACNUR), a Organização Mundial da Saúde (OMS), a ONG Médicos sem Fronteiras e a Anistia Internacional.Com sua mulher, Lélia Wanick Salgado, apoia atualmente um projeto de reflorestamento e revitalização comunitária em Minas Gerais. Em setembro de 2000, com o apoio das Nações Unidas e do UNICEF, Sebastião Salgado montou uma exposição no Escritório das Nações Unidas em Nova Iorque, com 90 retratos de crianças desalojadas extraídos de sua obra Retratos de Crianças do Êxodo. Essas impressionantes fotografias prestam solene testemunho a 30 milhões de pessoas em todo o mundo, a maioria delas crianças e mulheres sem residência fixa. Em outras colaborações com o UNICEF, Sebastião Salgado doou os direitos de reprodução de várias fotografias suas para o Movimento Global pela Criança e para ilustrar um livro da moçambicana Graça Machel, atualizando um relatório dela de 1996, como Representante Especial das Nações Unidas sobre o Impacto dos Conflitos Armados sobre as Crianças. Atualmente, em um projeto conjunto do UNICEF e da OMS, ele está documentando uma campanha mundial para a erradicação da poliomielite.

Sebastião Salgado foi internacionalmente reconhecido e recebeu praticamente todos os principais prêmios de fotografia do mundo como reconhecimento por seu trabalho. Fundou em 1994 a sua própria agência de notícias, "As Imagens da Amazônia" , que representa o fotógrafo e seu trabalho. Salgado e sua esposa Lélia Wanick Salgado vivem atualmente em Paris, autora do projeto gráfico da maioria de seus livros. O casal tem dois filhos.

Fonte: Wikipedia

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Brasileiro concorre em prêmio mundial de fotografia


Fotógrafos espanhóis e argentinos ficaram entre os finalistas na categoria profissional do Sony World Photography Awards, um dos prêmios de fotografia mais cobiçados do mundo, que será entregue no dia 27 de abril, informou a organização nesta segunda-feira (31). A competição, que recebeu 105 mil inscrições de 162 países, se divide em diferentes temas e inclui ainda uma categoria não profissional, para a qual foi selecionado um brasileiro.

A categoria profissional, cujo ganhador absoluto recebe um prêmio em dinheiro, conta ainda com um vencedor por seção, que inclui três gêneros --Fotojornalismo, Comercial e Belas Artes-- que se subdividem por sua vez em um total de 15 temas. Em Fotojornalismo, foram selecionados os trabalhos do espanhol Javier Arcenillas, com imagens nos temas de Atualidade, Esporte e Assuntos Contemporâneos. Já no tema Gente, são finalistas o argentino Alejandro Chaskielberg e a espanhola Lucía Herrero.

Na categoria não profissional, dividida também em vários temas, conseguiram destaque o espanhol Javier Martin e a argentina Susana Righi. O brasileiro Iberê L. Ranieri Jr. conseguiu destaque no tema "Após o Anoitecer".

Os ganhadores de cada categoria, assim como o vencedor do prêmio de Fotógrafo do Ano, serão anunciados em cerimônia que integrará o Festival Mundial de Fotografia, que será realizado de 26 de abril a 1º de maio em Londres.

Fundado em 2007 pela Organização Mundial de Fotografia com patrocínio da Sony, o prêmio inclui pagamento máximo R$ 25 mil e equipamento fotográfico para o vencedor absoluto, que leva também o troféu L'Iris d'Or, enquanto os ganhadores de cada categoria recebem simplesmente um reconhecimento.

DA EFE, EM LONDRES